Por: Ricardo Gebeluca | 27/08/2018

O governador Eduardo Pinho Moreira recebeu em seu gabinete, hoje pela manhã, os representantes da Associação de Diários do Interior (ADI-SC), Ámer Felix Ribeiro, da Associação de Jornais do Interior (Adjori-SC), Miguel Gobbi, e Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert), Marcello Petrelli. O grupo assinou o Termo de Cooperação para produção editorial que contribua com a campanha institucional Mais Segurança no Trânsito, lançada no mês de junho.

O objetivo, segundo Moreira, é conscientizar toda a sociedade de forma a reduzir o grande volume de acidentes que ocorrem nas ruas das cidades e nas rodovias que cruzam o território catarinense. Ele apontou como exemplo dessa tragédia o último final de semana, durante o qual oito pessoas morreram vítimas de acidentes de trânsito.

Para dar suporte aos veículos, os jornalistas da agência Fábrica de Comunicação vão produzir conteúdo, elaborar e apresentar pautas, além de organizar um banco de dados. A jornalista responsável pela agência, Karin Verzbickas, também assinou o documento.

 

Compromisso

Ribeiro explicou que os veículos associados e parceiros da ADI-SC, impressos e digitais, serão estimulados a produzir matérias sobre o tema, analisando local e regionalmente qual a situação e que ações podem ser desenvolvidas para reduzir o problema.

“O jornal do interior tem compromisso com a sua comunidade. Além disso, a escrita é uma forma pedagógica de tratar de um assunto tão duro quanto este. A situação é tão grave que é preciso chocar pelos números! Temos que fazer as pessoas entenderem que são responsáveis pelo trânsito seja enquanto pedestres, motoristas, ciclistas ou motociclistas. É uma engrenagem que precisa ser azeitada com senso de autopreservação e com muito respeito”, defendeu.

 

Tragédia

Os óbitos são apenas a face mais chocante e imediata do problema. Mas as repercussões são muito mais profundas e prolongadas. Internações, cirurgias e fisioterapias geram gastos altíssimos ao Sistema Único de Saúde (SUS), além da ocupação de leitos e profissionais que poderiam ser dedicados a cirurgias eletivas ou ao controle de doenças crônicas.

Além disso, pesa o fato de boa parte das vítimas, sejam as fatais ou as que resultam em lesões graves, muitas vezes até incapacitadas para o trabalho, estarem em idade produtiva. “A pressão sobre o SUS é enorme, as demandas são intensas e extensas, porque os feridos graves exigem um período de recuperação longo, por vezes próteses caríssimas. Isso pode ser evitado ou reduzido com campanhas como esta, interagindo com a sociedade para que haja maior cuidado e mais consciência sobre o tema”, disse o governador.

Ele enalteceu a importância do envolvimento da ADI-SC, da Adjori-SC e da Acaert neste momento em que há a necessidade de falar diretamente com as comunidades. “Esta tem sido uma ênfase em nosso governo. ADI, Adjori e Acaert participam de todas as campanhas em que são solicitados a ajudar. Essa coesão faz muita diferença.”

O secretário de Comunicação do Estado, Gonzalo Pereira, um dos incentivadores da parceria com os veículos de comunicação, contou que a estratégia é manter no noticiário todas as informações sobre o assunto segurança de trânsito e preservação de vidas. “Na proporção em que conseguirmos conscientizar a sociedade por meio dessas matérias jornalísticas, conseguiremos preservar vidas e desafogar o SUS. A preocupação tem que ser de todos, não apenas do governo. E muito fortemente da imprensa como difusora de informação”, declarou Pereira.

Ao final do encontro, Eduardo Moreira lembrou que Santa Catarina disputa com Minas Gerais as primeiras – e vergonhosas – posições em número acidentes e vítimas do trânsito. Acredita que é uma questão de educação e de quebra de paradigmas. “As pessoas são descuidadas, gostam de andar sem cinto, de falar ao celular… tudo aquilo que é proibido. E olha que as multas são pesadas! Mas ainda assim nós flagramos veículos nas rodovias circulando a mais de 200 quilômetros por hora!”, exemplificou.