Por: Redação | 11/07/2018

O corpo da transexual Mirela, de 29 anos, encontrado há uma semana em um terreno baldio no Centro de Balneário Camboriú, no Litoral Norte catarinense, foi reconhecido por um familiar e enterrado na terça-feira (10). Na Polícia Civil, o caso segue em investigação. Ninguém foi preso.

A suspeita é que a vítima tenha sofrido um estrangulamento, já que havia marcas e ferimentos causados por um corte. Ela foi localizada pela polícia com uma alça de bolsa no pescoço e embaixo de uma pilha de tábuas.

Conforme o Instituto Médico Legal (IML), uma irmã de Mirela veio do Mato Grosso Sul para realizar a identificação. A transexual tem como nome de batismo Willian Nascimento Soares. Segundo a Polícia Militar, ela era natural de Aquidauana, cidade do Mato Grosso do Sul, e não tinha passagens criminais.

Ainda de acordo com o IML, a família não tinha condições financeiras para fazer o sepultamento, por isso, aguardou a liberação de auxílio da Assistência Social do município para realizar a despedida na terça.

Conforme a Central de Luto de Balneário Camboriú, ela foi enterrada no Cemitério do Rio do Meio, em Camboriú, na terça.

Corpo foi encontrado em terreno baldio em Balneário Camboriú (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

O delegado Vicente Soares, responsável pela investigação, afirmou nesta quarta que ainda não está esclarecida a motivação do crime e nem os suspeitos foram identificados. Ainda de acordo com o delegado, o laudo cadavérico também não foi recebido pela Polícia Civil.

Assassinato

O corpo foi achado em um terreno ao lado de uma oficina mecânica por volta das 13h30 do dia 4 de junho. Segundo a PM, no pescoço da vítima tinha um corte e a alça da bolsa dela estava enrolada.

Ainda conforme a PM, um comerciante avistou a vítima embaixo de uma pilha de entulhos, com tábuas, e acionou a polícia.

Fonte: G1