Por: Ricardo Gebeluca | 05/10/2017

A Polícia Militar prendeu um casal com uma grande quantidade de bebidas alcoólicas adulteradas e por corrupção ativa, na manhã desta quarta-feira, 04, por volta das 08h20, na Rua Belmiro Diogo Cordeiro, Bairro Nova Esperança, em Balneário Camboriú.

 

A guarnição foi acionada via central para verificar um caminhão suspeito que estava em um condomínio carregando diversas garrafas de bebidas alcoólicas destiladas.

 

No local os Policias Militares abordaram Gisleia, 40 anos, que de primeiro momento não permitiu a entrada da guarnição para verificar a denúncia. Porém, outro morador abriu o portão do condomínio e deu acesso ao interior, onde foi avistado o caminhão parado em uma garagem aberta e o momento em que um homem teria se evadido pelos fundos da casa, sendo localizado próximo à UDESC e identificado como Marco, 31 anos.

 

Em diligências na casa foram encontradas várias garrafas de bebidas alcoólicas vazias e outras cheias, além de selos, lacres falsos destinados à falsificação das bebidas, ferramentas utilizadas na adulteração, uma prensa utilizada para lacrar as garrafas adulteradas, R$ 4.964,00 reais em espécie, 02 notebooks, 04 celulares, 02 câmeras fotográficas com lentes e 01 veículo GM prisma.

 

Ao serem indagados, ambos confessaram que adulteravam as bebidas com o fim de aumentar o volume, algumas eles trocavam o conteúdo e que os destilados de menor valor eram colocados em garrafas de marcas famosas e caras.

 

Enquanto a guarnição apreendia os materiais, Gisleia ofereceu R$ 5 mil reais aos Policiais Militares para que não fosse presa, sendo lhe dada voz de prisão por corrupção ativa, além dos demais crimes constatados.

 

O caminhão cheio de bebidas e todo o material encontrado na casa foram apreendidos para encaminhamento ao juízo.

 

Diante dos fatos, Gisleia, 40 anos, e Marco, 31 anos, foram presos em flagrante pelos crimes de associação criminosa, falsificação e adulteração de produtos alimentícios, falsificação de selo ou sinal público, estelionato e corrupção ativa.