Por: Ricardo Gebeluca | 04/06/2019

Nesta segunda-feira (3), uma repressão a protestos em Cartum contra o atual governo militar do Sudão resultou na morte de pelo menos 35 pessoas. Os protestantes estavam acampados diante do quartel-general da capital sudanesa quando membros das forças de segurança chegaram em veículos com metralhadoras e iniciaram a ação contra os populares.

A organização ligada aos manifestantes informou que além do elevado número de mortos, há um grande número de pessoas feridas e solicitou apoio urgente a organizações humanitárias, como a Cruz Vermelha. Membros da ONU condenaram o ataque e já foi pedida investigação para levar os responsáveis à justiça.

O Conselho Militar, porém, nega ter utilizado de força excessiva contra o acampamento de opositores e declarou que seus oficiais atuaram em uma zona conhecida como “Colômbia”, vista como fonte de corrupção e atividades ilícitas.

Em meio a tentativas de intervenção e opiniões de diferentes países, os sudaneses clamam por eleições livres e novos líderes que não os sujeitem a tamanha violência, coordenada e desumana.

Crédito da foto: Ashraf Shazly/AFP