Por: Ricardo Gebeluca | 10/07/2018

A cidade tijucana sofre as consequências do voto inconsciente. O prefeito professor Elói Rocha ainda não mostrou a que veio, a reclamação vem se fundamentando em todos os seguimentos da sociedade, além do descontentamento, os questionamentos abrangem todos os setores da gestão, ou seja, ineficiência no quadro é visível e notório na falta de resultados práticos, quase dois anos de governo e a cidade ainda sofre para garantir a manutenção de sua infraestrutura pronta, sem considerar a apática gestão que pouco produz em favor dos seus governados.

Rocha ingressou na vida pública em 1994, ocupou por duas vezes o cargo de secretário municipal de Educação, bem como comandou a Fundação Municipal de Esportes e na condição de professor se qualifica para o exercício do cargo de Executivo e não pode alegar ignorância dos fatos, sobretudo, da fragilidade do se governo em dar respostas eficazes aos seus governados.

Sem fazer comparações com governos da região, este governo vem deixando a desejar em todos os aspectos, sobretudo, foi eleito com o bordão “chega dos mesmos, vamos mudar com Elói”, afinal, que mudança se constata nestes quase dois anos de mandato, o que avançou, educação, saneamento básico, infraestrutura, mobilidade urbana?

Para consolidar este pensamento de que a comunidade tem que dar prazo para gestores se adequarem à realidade da legislação, não pode ser tolerado, o tempo é o da transição, se não se adaptou, lamenta-se, e pode-se considerar um governo ineficiente e pouco qualificado intelectualmente para o desafio que se propôs fazer “ a mudança”.

Para não descredibilizar o conteúdo que tem origem na má gestão, qual deve ser combatida em todos os aspectos, a ponte Vulcão Viana, no bairro Joairá denuncia a promessa falsa e descomprometida com a palavra verdade.

Não só isso é uma constatação do descontentamento que nos chama atenção, o silêncio das lideranças locais, bem como dos fiscais do povo que nada progridem quanto a fiscalização do Plano de Governo, uma promessa de campanha que tem mais para ser um engodo, sobretudo, chancelado pelo silêncio das autoridades.

– Numa fala de um internauta, revela a insatisfação, “Eu estava em cima do muro, procurando escolher o que seria melhor, até que chegaram a mim: vota na mudança, chega 12 anos PMDB mandando na cidade, votar no Elmis de novo? Isso é coisa de louco.

Aí meus amigos caem no conto do vigário. VOTEI NA TAL “MUDANÇA”

“E sabe qual conclusão que cheguei?  Tomamos no.…, isso mesmo bem tomado. Já vi isso em outra época e passamos 4 anos ouvindo, estamos pagando contas. Mas, na verdade quem está pagando é nós o POVO, por acreditar que vai mudar. Imaginem ficar 4 anos ganhado 20 poucos mil para ser prefeito e vice,10 mil para ser secretário. Acham mesmo que estão se importando em fazer algo? Não estão nem aí, daqui 4 anos o povo vai votar no MDB, 4 anos de salário gordo está garantido”, constatou uma declaração publicada no Tijucas Mil Grau. https://www.facebook.com/tijucasmilgrauuu

Considerando que a cidade representa um avanço para o Vale o Rio Tijucas, este título, pode estar sendo manchado pela ineficiência de um governo que ainda não mostrou para que fim foi eleito e vem revelando frente ao diagnóstico de praxe de gestão, demostrando que o prognóstico prevê uma gestão frustrada na incapacidade fundada no amadorismo, levando em consideração o plano de governo, este governo sofrerá as consequências da má gestão e como resultado, um alto custo para os contribuintes, eleger somente no afã da “mudança” sem avaliar os critérios técnicos e profissionais, sobretudo, da habilidade político daquele em quem depositamos o voto de confiança, as consequências poder ser de fato o jargão popular, cada povo tem o governo que merece, fundada na lei da atração, os iguais se unem!  JS