Por: Ricardo Gebeluca | 08/06/2018

Uma força-tarefa realizada nesta sexta-feira (8) da Previdência Social e da Polícia Federal cumpre 15 mandados de busca e apreensão, em sete cidades da Grande Florianópolis, contra um esquema de concessão irregular de seguro-defeso. Segundo as investigações, no total são 195 benefícios investigados e o prejuízo aos cofres públicos é estimado em mais de R$ 2 milhões. Até as 12h, não havia balanço de mandados cumpridos.

O seguro-defeso é um benefício de seguro-desemprego concedido ao pescador artesanal durante períodos do ano em que é proibida a pesca de determinadas espécies.

Os mandados são cumpridos em Governador Celso Ramos, Biguaçu, Palhoça, Tijucas, Bombinhas, São José e Florianópolis. Os alvos são as colônias de pesca, um sindicato e a residência de um representante de entidade de pesca.

Segundo a Previdência, entre as fraudes, mulheres sem vínculo claro com a pesca artesanal estão recebendo o benefício.

Os representantes das entidades de pesca envolvidos na concessão do benefício irregular podem responder, com o andamento das investigações, por fraude contra a Previdência Social e organização criminosa, segundo a PF.

A força-tarefa realiza três operações simultâneas, todas com o mesmo objetivo: “Suíte dos Pescadores”, “A Isca e o Anzol” e “Canto da Sereia”.

Participaram das investigações a Secretaria de Previdência, PF e o Ministério Público Federal. Ao todo, 50 policiais federais e sete servidores da Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária (Coinp) cumprem os mandados. Com informações G1