Por: Ricardo Gebeluca | 22/10/2018

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, se encontrou nesta segunda-feira (22) com catadores de material reciclável em uma cooperativa na zona oeste de São Paulo. Ele defendeu a substituição de lixões por aterros sanitários e investimento em práticas de reaproveitamento de materiais recicláveis.

Uma lei de 2010 determinou que até 2014 todas as cidades deveriam substituir lixões por aterros sanitários, mas a maioria ainda mantém depósitos de lixo sem qualquer tratamento. Além disso, em todo o país somente 4% do lixo é reciclado.

Haddad citou que, quando foi prefeito de São Paulo, de 2013 a 2016, incentivou cooperativas para coleta de materiais recicláveis.

“Nós entendemos que essa política, se somar tecnologia com a disposição dessa força de trabalho para reciclagem, vamos poder acabar com os lixões no Brasil que ainda são um problema muito grande. Nem toda cidade está conseguindo cumprir a lei que prevê a instalação de aterros sanitários”, afirmou o candidato.

Haddad recebeu o apoio do movimento nacional dos catadores, que pediram medidas do governo para promover a inclusão social.

Ele assinou um compromisso com 13 propostas feitas pela categoria, como incentivar as prefeituras a implantarem a coleta seletiva de lixo e cederem espaços públicos para as associações e cooperativas de catadores.

Haddad disse que pretende investir em equipamentos e tecnologia para reciclagem.

“Somos contra a incineração. Entendemos que a economia circular é o caminho para reaproveitamento desse material sustentável do ponto de vista ecologico. Vamos expandir a experiência de São Paulo, que é uma das mais exitosas, para todo país. Inclusive com estímulos federais para a aquisição desses novos equipamentos”, disse Haddad.