Por: Ricardo Gebeluca | 21/08/2018

Um incêndio destruiu uma residência na manhã desta terça-feira, 21, em Criciúma. O imóvel, localizado no bairro São Cristóvão, foi consumido pelo fogo. Viaturas e caminhões do Corpo de Bombeiros estiveram no local, assim como a Polícia Militar (PM). As chamas foram controladas e o trabalho das guarnições se voltou a fazer o rescaldo do sinistro.

No entanto, o proprietário da residência reclamou da demora do socorro. Segundo Nelson Silva, ele e os vizinhos tentaram acionar o Corpo de Bombeiros desde o fim da madrugada, quando perceberam o incêndio, mas apenas por volta das 7h é que a guarnição foi contatada e chegou ao local. “Desde as 5h da manhã ligando para eles e não vieram. Eu estava dormindo quando começou o incêndio. A sorte é que acordei tossindo. Não morri por Deus. Só consegui tirar o carro e os dois cachorrinhos. Queimaram as chaves, três TVs, geladeira, fogão, máquina de lavar, maquita… Todo o material elétrico queimou. Mais de R$ 30 mil em prejuízo. Mas estou vivo”, comenta.

De acordo com uma vizinha, o incêndio não teria alcançado essa proporção se tivessem conseguido contato com o Corpo de Bombeiros mais cedo. Segundo ela, o telefone não era atendido ou caía na Central, em Florianópolis. Os moradores ainda ligaram para a PM, a fim de conseguir o socorro. “A casa não teria queimado se eles (os bombeiros) tivessem vindo antes. Todo mundo ligou para o 193 e eles não atendiam”, destaca.

Conforme um bombeiro que atuou na ocorrência, é difícil esse tipo de situação acontecer, pois, caso não seja possível o contato pelo 193, a guarnição costuma ser acionada de outra forma, como por meio da PM. No entanto, o caso deve ser averiguado.

Fonte: Notisul