Por: Ricardo Gebeluca | 06/11/2020

As Irmãs da Pequena Missão para Surdos, é uma instituição que atua em Itapema há oito anos com a interpretação da LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), nas escolas municipais.

Fundada pelo Padre José Gualande em 1849 na Itália, e na década de 1970 veio para o Brasil, se instalando na cidade de Londrina, no Paraná e no mesmo estado abriu-se uma filial na cidade de Cascavel onde hoje as Irmãs coordenam uma escola bilíngue, onde as crianças aprendem em português e em LIBRAS. A congregação atua na dimensão pastoral, catequética, missionária e com escolas, essa última é a que atuam em Itapema as Irmãs Dalva e Luzia que são intérpretes nas escolas e atuam na área pastoral em todo o estado de Santa Catarina quando solicitadas.

Quanto ao atendimento em Itapema é realizado com os alunos, e eventos da prefeitura que necessitem de intérprete, porém pontualmente também prestam atendimento às famílias dos alunos em demandas específicas, além de atender surdos em situação de vulnerabilidade social, como quando são acolhidos de situação de rua.

Uma história para aquecer o coração

No início da pandemia, em março deste ano chegou até as Irmãs uma mulher surda de 34 anos em situação de rua. Essa mulher chamada Mariana, havia se perdido de sua família no estado do Paraná havia mais de 20 anos. Sem possuir nenhum documento ficou difícil encontrar a família.

Assim, as Irmãs entraram em contato com o CRAS II de Itapema e iniciaram as buscas por dados de Mariana, que passou a contar também com o apoio de outra instituição do município, a Nossa Senhora dos Navegantes que garantiu a ela o acesso a alimentação durante esse período.

Após sete meses de trabalho intenso, com os documentos prontos e família localizada, Mariana pode retornar à sua casa no último dia 14 na cidade de Cascavel (PR), onde segue sendo atendida pela congregação das Irmãs da Pequena Missão para Surdos.