Por: Ricardo Gebeluca | 22/02/2018

Uma jovem, grávida de seis meses, veio a óbito na noite desta quarta-feira (21), ela estava em uma suposta clínica de aborto no bairro Tabuleiro. Dentro da casa foram encontrados medicamentos usados para aborto. Segundo informações, o namorado da vítima e mais uma pessoa foram conduzidas a delegacia de Itapema para procedimentos legais.

A vítima tinha 23 anos e estava hospedada em Balneário Camboriú. Ela teria vindo de Minas Gerais para realizar o procedimento. Acionado, o SAMU esteve no local, mas nada pode fazer, pois a moça já se encontrava em óbito. O IGP (Instituto Geral de Perícias) foi até o local para colher indícios e provas.

Nota da Policia Militar

Chegando ao local a guarnição encontrou a jovem, Caroline Mele Machado Duo, 23 anos, sobre a cama do quarto, sem os sinais vitais.

Na residência estavam Carlos Roberto Hoff, 56 anos, locatário da kitnet e Eduardo Kenji Higa, 26 anos, namorado de Caroline.

Eduardo relatou que nesta quarta-feira (21), ele e sua namorada foram visitar Carlos, um amigo em comum dos dois e no início da noite quando Caroline foi tomar banho, estranharam a demora da mesma, sendo que quando foram verificar, encontraram Caroline desmaiada dentro do box do chuveiro, com sangramento vaginal. Após isso, Eduardo, juntamente com Carlos a levou para o quarto e sobre a cama tentaram reanimá-la, não obtendo êxito.

Carlos, locatário da kitnet, estava muito preocupado com a situação e a todo o momento colocava as mãos sobre sua cabeça. Ele relatou que ajudou Eduardo a levar Caroline para o quarto e iniciou manobras de reanimação cárdicas pulmonares e acionou o SAMU.

Nas declarações dos masculinos foram constatadas contradições, sendo que ambos relataram que o sangramento vaginal havia formado uma poça de sangue no chão do box, no entanto o referido local estava limpo e com odor de produto de limpeza.

Diante de muitas suspeitas e evidências acerca da morte da feminina, a guarnição isolou o local, separou os envolvidos e acionou a polícia civil.

Fizeram-se presentes o delegado Danilo bandeira, juntamente com os agentes André Dariva e Giovani Rampinelli.

O delegado de polícia ao constatar a cena acionou o IGP para realizar uma perícia no local.

Na residência foram encontrados e apreendidos equipamentos cirúrgicos, produtos químicos, medicamentos com suspeitas de uso abortivo e uma máquina artesanal que leva a crer ser uma bomba de sucção.

Diante dos fatos a guarnição junto com a equipe da polícia civil conduziram Carlos e Eduardo juntamente com as evidências à delegacia de polícia civil para lavratura do auto de prisão em flagrante.

Ricardo Gebeluca