Coluna Pelo Estado: Menos impostos e mais desenvolvimento econômico

A redução de 25% no IPI anunciada pelo governo federal é um passo importante para o desenvolvimento econômico, avalia o presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar. “A medida traz competitividade para a indústria e começa a corrigir uma distorção brasileira, que é a excessiva tributação do setor industrial. O setor paga quase duas vezes o que a média da economia paga em impostos”, avalia, lembrando que a redução também vai beneficiar o comércio, que vende os produtos da indústria. A medida alivia a carga tributária na produção de automóveis, eletrodomésticos da chamada linha branca – como refrigeradores, freezers, máquinas de lavar roupa e secadoras – e outros produtos industrializados. “É importante lembrar que a atividade industrial tem forte efeito multiplicador, movimentando os demais setores econômicos, como a agricultura, o comércio, os transportes e outros serviços. Assim, quando a indústria ganha competitividade, ela ajuda toda a economia a crescer”, explica Aguiar. “A indústria brasileira pode contribuir muito mais para o desenvolvimento do País, desde que tenha um ambiente adequado para a produção. A redução do IPI contribui muito nesse sentido e por isso é tão importante”. Na avaliação da CNI (Confederação Nacional da Indústria), a mudança tributária poderá reduzir os preços dos produtos industriais, com benefícios para os consumidores e para o controle da inflação, que está elevada em todo o mundo em função da pandemia e que poderá subir ainda mais com a crise envolvendo Rússia e Ucrânia.

Fraternidade

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lança, na Quarta-feira de Cinzas (2), a Campanha da Fraternidade de 2022, com o tema: “Fraternidade e Educação” e o lema bíblico, extraído de Provérbios 31, 26: “Fala com sabedoria, ensina com amor”. A abertura oficial ocorre com a divulgação de um vídeo às 10h, com pronunciamentos dos membros da presidência da CNBB. Essa é a terceira vez que a temática da educação será abordada na Campanha da Fraternidade. O tema já foi objeto de reflexão e ação eclesial em 1982 e 1998.

Vinho

O 8º Festival da Vindima de Altitude, um dos mais esperados da colheita da uva do Brasil, realizado em São Joaquim, retorna este ano de 4 a 6 de março, após a pausa em 2021 por causa da pandemia. Entusiastas do vinho e da vitivinicultura poderão desfrutar da gastronomia, degustações e diversidade cultural com apresentações de artistas de “jazz”, “rock”, “pop” e música erudita. O evento acontece no Pavilhão de Exposições do Parque Nacional da Maçã, em São Joaquim.

Na Serra

Além do festival, as vinícolas de altitude também oferecem eventos até o dia 27 de março, onde 16 vinícolas na Serra Catarinense e Meio-Oeste celebram a colheita da uva com shows e comida típica.  A expectativa é atrair mais de 200 mil pessoas durante a Vindima e produzir neste ano 1.5 milhão de garrafas de vinho. O setor contabiliza a cada ano, cerca de 20% a 30% a mais.

Imóveis

Dados recentes da associação dos corretores de imóveis de Orlando (EUA), revelam que o mercado imobiliário americano continua em expansão. Relatório recente da entidade apontou um aumento de quase 32% nas vendas de imóveis entre janeiro de 2020 e janeiro de 2021, com um volume superior a US$ 1,1 bilhão. Os imóveis também tiveram uma valorização expressiva de 21,8%, subindo de US$ 275 mil para US$ 335 mil no mesmo período.

UTI infantil

O município de Sombrio, no Sul do estado, receberá investimentos de R$ 5,5 milhões do Governo Federal para o projeto da UTI Pediátrica do Hospital Dom Joaquim. Na última semana o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, esteve na cidade anunciando o repasse.

Produção e edição: Luciana Mariot