Por: Ricardo Gebeluca | 09/03/2019

O desinfetante de 500 ml pode ser encontrado em Itajaí pelo preço de R$ 1,37 a R$ 4,99, com uma variação de 264,23% entre o mais barato e o mais caro. Entre quarta e quinta-feira (06 e 07), os fiscais da Procuradoria de Defesa do Consumidor (Procon) constataram esta e outras diferenças em oito estabelecimentos da cidade. Também foi realizada a pesquisa com 32 itens de grandes marcas.

O preço da cesta básica com os produtos mais baratos nos mercados custa R$ 73,99, enquanto com os itens mais caros fica por R$ 126,88. A diferença é de 71,48% e representa R$ 52,89 no bolso do consumidor, o que serve de alerta para a pesquisa de preços.

Outros produtos que tiveram variações consideráveis foram o sabonete de 90g, que custa de R$ 0,65 a R$ 2,15 (230,77%) e o papel higiênico de 4x30cm, com preços de R$ 1,98 a R$ 5,80 (192,93%). O valor do litro de leite, por sua vez, teve a menor variação de preço (15,81%) e pode ser encontrado nos valores de R$ 2,15 a R$ 2,47. Na sequência vem o quilo açúcar, com uma variação de 26,67% e óleo de soja, que mostrou uma variação de 29,74%.

A cesta básica é composta pelo quilo do açúcar; arroz; farinha de trigo; feijão; banana caturra; batata lavada; cebola; tomate; café; carne (patinho); leite; margarina; macarrão; óleo de soja; pão francês; sabão em barra e em pó; desinfetante; pasta de dente; sabonete; papel higiênico com quatro rolos; e a dúzia de ovos.

Grandes Marcas

Na compra de todos os 32 itens de grandes marcas com os preços mais baixos, a conta fica em R$ 194,53. Já com os produtos de maior valor na prateleira, a compra custaria R$ 305,05, uma variação de 57%.

A maior variação apontada foi no preço do quilo da picanha fatiada, com 138,76% entre o mais barato e o mais caro. Na sequência, aparecem o desinfetante Pinho Sol original de 500ml (121,14%) e o shampoo Seda (92,17%). Os produtos que tiveram a menor variação do preço foram: tefrigerante Coca Cola 2 litros (9,54%); leite Tirol 1litto (20,47%); e o achocolatado Nescau Lata 400g (23,06%).

O Procon ressalta a importância da pesquisa de preço para o orçamento doméstico e salienta que o consumidor precisa ficar atento à data de validade dos produtos, principalmente dos oferecidos com preços promocionais. Isso evita o risco de comprar alimentos em grande quantidade e não conseguir consumi-los dentro do prazo.

Com a pesquisa, o Procon visa contribuir para a economia da população.