Por: Ricardo Gebeluca | 17/05/2018

Cobertura para a ação de uma quadrilha de assaltantes de banco, combinações de horários para agirem enquanto estivessem de serviço, retardamento do atendimento à ocorrência policial. Em troca: recebimento de parte do dinheiro roubado.

Estas são as principais acusações narradas pelo Ministério Público de SC contra três policiais militares, dois de Balneário Piçarras e um de Barra Velha.

Eles foram presos com prisão preventiva decretada pela Justiça a pedido do promotor Wilson Paulo Mendonça Neto, que atua em Florianópolis junto à Justiça Militar de Santa Catarina.

Um sargento, que estaria perto da aposentadoria, e dois soldados, são suspeitos de agirem em conluio para que os crimes fossem concretizados na mesma região do litoral norte.

Por Diogo Vargas/NSC