Por: Felipe | 02/10/2017

A Prefeitura de Bombinhas apresentou em Audiência Pública o novo projeto para captação e tratamento de água para os moradores do munícipio e também das cidades de Porto Belo e Itapema, no último dia 29. A concessionária Águas de Bombinhas explicou que estão sendo investidos R$ 45 milhões no projeto que transforma para sempre o cenário hídrico da cidade, tornando o município 100% independente. Além de moradores, representantes de Porto Belo, Tijucas e prefeitura de Bombinhas, a reunião também contou com a presença do membro do ministério público federal Darlan Airton Dias.

O projeto conta com 27 quilômetros de adutora que cruzam as cidades de Tijucas e Porto Belo, até chegar em Bombinhas. A captação da água ocorrerá no Rio Tijucas, no interior do município. As obras já iniciaram e a empresa pretende concluir o sistema em tempo recorde – até fevereiro de 2018. As cidades de Porto Belo e Itapema também sentirão os benefícios da obra, já que atualmente precisam compartilhar a captação e abastecimento. “Depois de concluído, o projeto trará vantagens para os três municípios envolvidos, trazendo maior segurança no abastecimento e contribuindo para o desenvolvimento econômico”, informou o diretor-presidente da Águas de Bombinhas, Ricardo Miranda.

Confira alguns detalhes do novo sistema:

• Vinte e sete quilômetros de adutora – o trajeto passa por locais com menor quantidade possível de população, priorizando áreas afastadas.

• Nova Estação de Tratamento de Água (ETA): será feita através de módulos. A princípio serão construídos dois módulos com capacidade de tratamento de 70l/s cada um. Posteriormente será construído um terceiro módulo, tornando a ETA completa. A capacidade total de abastecimento será de 240l/s.

• Prazos: as obras já iniciaram e o prazo de conclusão é de fevereiro de 2018

• Adutora feita de ferro fundido, com 500 mm. Este é o material mais resistente utilizado atualmente.

• A ETA contará com gerador de energia. Portanto, caso ocorra queda de luz, ela terá autonomia para continuar funcionando.

• Oficina Lítica: o trajeto da adutora vai contornar a região, a tubulação será enterrada na areia. A área será preservada e preparada para visitação de moradores e turistas.

• A captação autorizada no Rio Tijucas é de 2% da vazão outorgável. Ou seja, a captação é a mínima possível e não irá afetar o fluxo ou quantidade de água do rio.