Por: Ricardo Gebeluca | 18/04/2018

Embora tenhamos reduzido os índices de criminalidade em Itapema, é fato que os criminosos, por conta de uma legislação frágil, não desistem de levar uma “vida fácil” e continuam cometendo crimes em nossa região, principalmente furtos durante a madrugada.
O crime e a violência têm origem por inúmeros fatores. Por isso, a atuação das polícias tem sido mais abrangente e diversificada possível. Combina ações repressivas e preventivas, com o objetivo de ampliar a efetividade e, desta forma, gerar melhores resultados na proteção das pessoas e do patrimônio.

Ao escolherem uma vítima ou um alvo, os criminosos geralmente levam em consideração o esforço que terão de fazer para realizar o crime, o risco de serem identificados ou presos e a recompensa que possivelmente seria obtida. Desta forma, se conseguirmos aumentar a percepção de que o esforço ou o risco não valerão a pena, diante da recompensa que obteriam, diminuiremos as chances do crime acontecer ou se repetir.

Para ajudar nesta tarefa, a Polícia Militar precisa do auxílio da comunidade no sentido de tomar alguns cuidados para reduzir as oportunidades para os criminosos e aumentar a sua percepção de segurança, principalmente no comércio.
Os grupos de WhatsApp denominados de “Polícia Comunitária” criados pela Polícia Militar de Itapema em 2015, têm mostrado que é uma ferramenta importante na prevenção, foram inúmeras prisões que só foram possíveis graças a participação da comunidade nos passando informações que sequer tínhamos notícia, sem falar na efetiva prevenção, pois muitos criminosos ao perceberem que estavam sendo “vigiados” desistiram de cometer o delito.

No comércio, o primeiro passo é a vigilância, pois quanto maior a visibilidade do local, maior a segurança, as vitrines e portas devem permitir boa visibilidade da rua para o interior da loja e vice-versa, portanto, não deixe gôndolas ou prateleiras impedir que pessoas que passam pela rua tenham uma boa visão do que está acontecendo no interior do estabelecimento. Assim como os toldos devem estar acima da linha da porta, para não reduzir o campo de visão. O criminoso prefere locais com visibilidade obstruída, pois tem a sensação de que ninguém esta vendo suas ações. O caixa deve ser posicionado em local que permita acompanhar quem entra e sai, bem como, visualizar toda área interna e externa da loja. O ideal é estar centralizado em uma das paredes laterais e sempre de costas para esta parede.
Um controle de acesso eficiente é fundamental para a segurança do ambiente. Portanto, é importante que as aberturas de vidros devam ter dispositivos móveis de contenção que impeçam o acesso, caso sejam quebradas.

As câmeras de videomonitoramento devem ser instaladas de modo a permitirem a identificação das pessoas que acessam a loja e as gravações devem ser armazenadas em local de acesso restrito, procure profissionais capacitados para instalação desses equipamentos.
A abertura e o fechamento do estabelecimento são momentos que necessitam de maior atenção, por isso amplie a segurança do seu comércio estabelecendo relações amigáveis e de parceria com seus vizinhos, aposte na “Vizinhança Solidária”.

Com relação ao ambiente: locais limpos organizados e bem cuidados favorecem a segurança, portanto se na sua rua existirem terrenos baldios com mato alto, informe ao órgão responsável, assim como lâmpadas queimadas nos postes de iluminação pública devem ser substituídas, exija providências é um direito do contribuinte.

Ao chegar em casa, preste atenção aos arredores antes de abrir o portão, verifique também se não está sendo seguido, caso perceba essas alterações, não pare, dê mais uma volta no quarteirão e, se continuar inseguro, vá para um local movimentado e acione o 190.
São pequenas ações como as narradas aqui que contribuem para melhorar a percepção de segurança das pessoas, o cidadão(ã) tem papel importante na prevenção ao crime, colabore com a Polícia Militar, pois juntos somos mais fortes.
A Polícia Militar está à disposição para qualquer dúvida sobre o assunto abordado ou qualquer outra dúvida da comunidade.

Fonte: Capitão Rodrigues