Por: redação | 03/10/2019

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive-SC) confirmou nesta quarta-feira (2) que o Estado recebeu 11 mil doses da vacina pentavalente, que combate de uma só vez cinco doenças diferentes. O repasse foi feito pelo Ministério da Saúde, no dia 1º de outubro. A vacina é importada e comprada pelo governo federal.

Apesar do envio das doses, a Dive-SC informou que o estoque que chegou ainda não é suficiente para dar conta da demanda do Estado. Até o mês de abril, eram entregues cerca de 30 mil doses por mês. A partir de maio, o governo federal reduziu pela metade o envio das vacinas. Em julho, a entrega foi interrompida por completo, causando desabastecimento nas unidades de saúde.

A vacina pentavalente é aplicada em crianças, em três doses, no primeiro ano de vida dos bebês. A primeira é dada aos 2 meses de vida, a segunda aos 4 meses e a terceira quando a criança completa 6 meses de vida. Ela imuniza contra a difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e contra a bactéria haemophilus influenzae tipo b, responsável por infecções no nariz, meninge e na garganta.

O Ministério da Saúde declarou que o problema aconteceu porque um estoque de pentavalente adquirido por meio da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) foi reprovado em testes de qualidade do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Por este motivo, as compras com o fornecedor indiano Biologicals E. Limited foram interrompidas e não há disponibilidade imediata da vacina com outros fabricantes internacionais. O órgão informou que pretende normalizar o fornecimento das vacinas em todo o Brasil até o mês de novembro.