Por: Ricardo Gebeluca | 09/08/2019

A Dive/SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina) confirmou, nesta quinta-feira (8), a quarta morte de macaco por febre amarela no Estado em 2019. O animal, da espécie bugio, foi encontrado morto no dia 21 de junho em Jaraguá do Sul. Uma análise constatou a contaminação pelo vírus.

A Dive/SC reforçou que os macacos não transmitem a febre amarela. Eles são vítimas da doença e sinalizam a circulação do vírus na região. Por isso, ao encontrar um macaco doente ou morto, a secretaria Municipal de Saúde deve ser comunicada imediatamente. Antes mesmo da confirmação, equipes de saúde intensificaram a vacinação no município, principalmente na área onde o animal foi encontrado.

A febre amarela é uma doença grave, transmitida por mosquitos em áreas silvestres e próximas a áreas de matas. A única forma de se proteger é através da vacinação. Todos os moradores de Santa Catarina com mais de 9 meses de idade e que ainda não foram vacinados devem procurar uma unidade de saúde para se imunizarem contra a doença. Uma única dose é suficiente para proteger por toda a vida.

No Estado, até o momento, a cobertura vacinal está em 75%. No entanto, conforme o último boletim epidemiológico da Dive/SC, alguns municípios ainda não atingiram essa cobertura. O ideal é vacinar, ao menos, 95% da população dentro do público-alvo.

Fonte: ND+