Por: Redação | 03/06/2021

No começo desta semana, a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a abertura de um inquérito para investigar o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. O pedido foi apresentado à Corte pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

O pedido de abertura de inquérito é assinado pelo vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, e teve por base uma notícia-crime apresentada pelo delegado Alexandre Saraiva, ex-chefe da Polícia Federal no Amazonas. Ele foi exonerado do cargo após acusar Salles de obstrução em uma investigação ambiental e ainda de favorecer madeireiros investigados pela PF.

A solicitação foi enviada à ministra Cármen Lúcia. Nele, é pedida a autorização para convocar depoimentos do ministro, de proprietários rurais e de agentes de fiscalização do Ibama e da PF. É solicitada também permissão para acessar a cópia dos procedimentos de fiscalização e investigação relativos a supostos ilícitos ambientais.

Em sua decisão, a ministra do STF deu um prazo de 30 dias para o cumprimento das diligências e também para a finalização das investigações. Além de Salles, a investigação também terá como alvos o senador Telmário Mota (PROS-RR) e o ex-presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Ibama) Eduardo Bin.