Por: Redação | 24/11/2021

Santa Catarina planeja desobrigar o uso de máscara em locais abertos em cidades que tenham ao menos 65% da população geral totalmente vacinada contra a Covid-19. Caso a liberação ocorresse nesta terça-feira (23), 81 municípios catarinenses não estariam aptos a adotar a medida.

É o que apontam os dados da plataforma Vacinômetro do governo do Estado, atualizados na manhã desta terça. O secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, confirmou que o regramento para a liberação já está pronto. Contudo, para “bater o martelo”, o Estado ainda aguarda aval do governo federal.

“Ainda dependemos de uma liberação do governo federal para poder desobrigar o uso nos espaços abertos, o regramento está pronto. Com percentual de vacinação alto podemos discutir sim a desobrigação”, disse o secretário em entrevista exclusiva  na segunda-feira (22).

 

Moisés confirma protocolo

Na abertura dos Jasc (Jogos Abertos de Santa Catarina), o governador Carlos Moisés confirmou que os protocolos para flexibilização do uso das máscaras em locais de reuniões de público e, sobretudo, em locais externos está pronto.

Ele destacou a necessidade da legislação federal ser revista para que o decreto seja publicado. Porém, o chefe do Executivo não descartou a possibilidade do Estado discutir uma liberação individual.

“A legislação nacional precisa ser revista para que tenhamos mais segurança na flexibilização. Se isso não acontecer, em determinado momento, quando a equipe técnica se sentir segura em função da cobertura vacinal, o tema pode ser deliberado em grupos intergestores para que uma decisão seja tomada. Mas, em um primeiro momento, aguardamos a decisão nacional”, disse.

 

Situação das cidades

Dos 295 municípios catarinenses, 214 (72,5%) estariam aptos para flexibilizar o uso de máscaras, conforme o Vacinômetro. Isso quer dizer que 81 cidades, ou 27,4%, ainda precisariam “correr atrás” para alcançar o percentual mínimo de 65% da população geral vacinada com as duas doses ou com a dose única.

Os três municípios mais bem posicionados são Piratuba, Tigrinhos e Marema, com 113%, 99,7% e 98,6% da população total imunizada, respectivamente.

Em contrapartida, Calmon (15,4%), Ipuaçu (37,1%) e São Lourenço do Oeste (42,6%) detêm os menores números, conforme os dados do governo do Estado.

Das 10 cidades mais populosas de Santa Catarina, Florianópolis, Chapecó, Itajaí, Criciúma, Jaraguá do Sul e Palhoça estão prontas para flexibilizar o uso de máscaras.

Embora Florianópolis tenha divulgado ter imunizado mais de 100% da população acima de 18 anos, os dados do vacinômetro estaudal levam em conta o percentual de vacinados com as duas doses ou dose única em toda a população da cidade, que atualmente é de 78,5%.

Por outro lado, Joinville, Blumenau, São José e Lages ainda precisariam alcançar a taxa.

 

10 cidades com melhores índices de vacinados:

  • Piratuba 113%
  • Tigrinhos 99,7%
  • Marema 98,6%
  • Santiago do Sul 96,8%
  • Abdon Batista 94,5%
  • Águas Frias 94,4%
  • Caxambu do Sul 94,4%
  • Angelina 93,1%
  • Rancho Queimado 93,1%
  • Arvoredo 92,8%

 

10 cidades com menores índices de vacinados:

  • Calmon 15,4%
  • Ipuaçu 37,1%
  • São Lourenço do Oeste 42,6%
  • São João Batista 42,8%
  • Bom Jesus 46,1%
  • Timbó Grande 47,4%
  • José Boiteux 48,3%
  • Araquari 49,7%
  • Schroeder 50,8%
  • Sombrio 51,2%

 

Índices de vacinados das 10 cidades mais populosas de SC:

  • Florianópolis 78,5%
  • Joinville 64%
  • Blumenau 60%
  • São José 59,8%
  • Chapecó 74,4%
  • Itajaí 66,7%
  • Criciúma 67,1%
  • Jaraguá do Sul 66,7%
  • Palhoça 70,8%
  • Lages 62,5%

 

Contrapontos

A reportagem entrou em contato com as prefeituras dos municípios que integram o ranking das 10 cidades com os menores índices de imunização completa contra a Covid-19. As prefeituras de Ipuaçu, Bom Jesus, Timbó Grande, Araquari e Sombrio não retornaram até a publicação. O espaço está aberto.

A Secretaria de Estado da Saúde diz que acompanha os municípios e indica que façam buscas ativas, campanhas e ações com os moradores.

Calmon: a secretária municipal de Saúde, Claudia Richter, informou que a pasta passa por uma mudança de gestão e que houve um problema na contagem dos dados de vacinados da Covid-19. “Tivemos um problema no sistema, uma falha de digitação. A cobertura vacinal está alta e a procura pela vacina é grande”, afirmou.

São Lourenço do Oeste: A Secretaria de Saúde informa que, até o dia 23 de novembro de 2021, o número total de pessoas vacinadas com as duas doses no município é de 19.508, representando 80,3% da população geral. Além disso, 21.736 pessoas já receberam o esquema de vacinação completo ou fizeram ao menos a primeira dose, correspondendo a 89% da população. Comunica, ainda, que os dados sobre a vacinação contra a Covid-19 são repassados ao governo do Estado em até 48 horas após a realização da vacina no município.

São João Batista: A prefeitura avalia que tem feito a sua parte no que se refere à vacinação contra a Covid-19, com mutirões, criação de ponto fixo e campanhas. Informa que o percentual abaixo da média estadual se deve porque o cálculo leva em conta a estimativa populacional do IBGE, que, desde o Censo 2010, cresceu 51,25%, o que talvez não reflita com exatidão o atual tamanho da população da cidade. Outro fator é que uma parcela da comunidade, especialmente a da faixa etária dos 20 aos 49 anos, tem rejeitado a vacina, apesar do trabalho constante de conscientização que vem sendo efetuado desde o início da campanha.

José Boiteux: a prefeitura municipal não quis se manifestar sobre o dado.

Schroeder: A Secretaria de Saúde informou que apesar das ações realizadas, a população não está retornando para receber a segunda dose da vacina. Conforme a secretária de Saúde, Ingrit Eli Roweder, desde o início da campanha de vacinação, o setor vem buscando alternativas para contemplar toda a comunidade.

 

Manutenção de medidas preventivas

O mais recente boletim do Necat (Núcleo de Estudos de Economia Catarinense), da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) divulgado na segunda-feira (22) aponta que, apesar da matriz de risco do Estado não apresentar nenhuma região com nível grave ou gravíssimo, ainda é preciso cautela.

Isso porque o estudo mostra que Santa Catarina registrou mais 84 mortes entre o período de 12 a 19 de novembro, o que indica que essas ocorrências ainda seguem altas, com a média semanal móvel se estabilizando no patamar de 12 óbitos por dia.

Por outro lado, na mesma semana, houve uma tendência de queda do indicador de novos casos da doença em relação aos últimos 14 dias.

“O comportamento do conjunto de indicadores, mesmo que bastante favorável, ainda não permite nenhum relaxamento em relação às medidas de prevenção e de controle da doença, especialmente no quesito ‘flexibilização do uso de máscaras’, equipamento que é extremamente eficaz no sentido de inibir a circulação do vírus”, alerta o professor Lauro Mattei, que assina o boletim.

 

Vacinação em SC

O Vacinômetro mostra que, até esta terça, 66,7% da população geral do Estado e 79% da população vacinável já está completamente imunizada contra a Covid-19.

Já 78,7% da população geral recebeu a primeira dose do imunizante. No total, 11.044.991 doses já foram aplicadas.

Por nd+