Por: redação | 18/09/2019

O Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CMDPD) realizou uma ação para analisar a questão de acessibilidade e as dificuldades que os deficientes enfrentam na cidade de Balneário Camboriú. Alguns conselheiros e agentes da Guarda Municipal acompanharam dois cadeirantes e dois deficientes visuais nas ruas centrais da cidade.

A operação buscou identificar as dificuldades que as pessoas com deficiência, tanto visual, quanto física, enfrentam na circulação e, assim, propor possíveis correções. “Na ação encontramos diversos obstáculos. Com esta ação buscamos levar em conta a lei brasileira da inclusão, a qual busca mostrar pra sociedade a questão dos direitos fundamentais para a pessoa com deficiência, um deles o direito de ir e vir, com autonomia, segurança e acessibilidade”, afirmou a presidente do CMDPD, Gévelyn Cássia Almeida.

A Guarda Municipal também faz o trabalho de fiscalização. Diante desta atribuição recente, vai se empenhar em proporcionar para as pessoas deficientes mais conforto na hora de se deslocar pela cidade. “Nesta ação, conseguimos identificar algumas coisas que são fatores que dificultam a circulação dos deficientes, mas que passam despercebidos para quem possui plena capacidade visual e não necessita de cadeiras de rodas. Um artista que expõe seus artesanatos nas calçadas, e até mesmo mesas e cadeiras de estabelecimentos, são exemplos que geram prejuízo para eles. Nós da Guarda estamos disposto a, junto com o Conselho, empreender esforços para corrigir e tornar a cidade mais acessível para todos”, declarou o secretário de Segurança, David Queiroz.