Por: Redação | 26/03/2021

Essencial para o desenvolvimento e manutenção de ecossistemas, comunidades e economias, os recursos hídricos estão em risco. Segundo relatório da UNICEF e da ONU, uma em cada três pessoas do planeta não têm acesso à água potável. Esse enunciado preocupante foi exposto pelo diretor da Escola do Mar, Ciência e Tecnologia, Luís Carlos Martins, durante a abertura do webinário “Água, as conexões da vida e do mundo”, evento promovido em parceria pela UNIVALI, Conasa Infraestrutura e Conasa Águas de Itapema, na noite do último dia 22 de março, Dia Mundial da Água.

Reunindo uma gama de especialistas, o seminário expôs as urgências e alternativas necessárias para a manutenção deste bem da humanidade. “Sabemos que a demanda por água vem crescendo e é imprescindível que tenhamos ações de mudança nos hábitos de consumo e implementação de soluções para o seu reuso”, afirmou Denis Grassi, superintendente de operações da Conasa Águas de Itapema.

Ele ressaltou que Itapema é um exemplo da universalização do abastecimento de água – com 100% dos moradores atendidos – e do avanço no tratamento de esgoto, que já beneficia cerca de 90% da população, num país em que apenas metade dos brasileiros possuem acesso ao tratamento de esgoto. Denis destacou ainda a importância da iniciativa privada na preservação e manejo deste bem indispensável. “O marco regulatório do saneamento veio para que mais investimentos aconteçam e que possamos ter metas mais arrojadas para que o setor prospere e promova saúde, qualidade de vida e desenvolvimento a todo o país”.

O webinário contou com a participação especial do velejador, economista, ativista e embaixador da ONG Trata Brasil, Vilfredo Schürmann, que trouxe para o centro do debate algumas de suas experiências ao redor do mundo. Conhecido mundialmente pelas expedições em família e engajamento na preservação do meio ambiente, ele apresentou uma série de impressões sobre o manejo da água nos mais diversos confins do planeta, pautando a importância da preservação dos oceanos e deixando um alerta:  “Temos que acreditar. Quando temos um objetivo, muitas tempestades vão aparecer na frente, como no mar. Estamos hoje numa tempestade violenta, com a poluição dos nossos mares. Se cada um de nós fizer a sua parte, tenho certeza de que daremos um passo à frente”.

Mediado pela professora Camila Burigo Marin, coordenadora do projeto de extensão Água Viva da UNIVALI, o bate-papo prosseguiu com a temática “A saúde humana, o autocuidado e os reflexos na saúde da água”, contando com a participação de especialistas de renome nacional e internacional, como a professora Barbara Lage – coordenadora do Maré de Ciência da UNIFESP e corresponsável pelas oficinas subnacionais do projeto Década do Oceano; Kátia Naomi Kuroshima – especialista em poluição pela UNIVALI; Rafaela Picolotto – expert em Gestão e Valoração de Resíduos Sólidos; Juliana Reis – Presidente da Regional de Minas Gerais da Associação Brasileira de Odontopediatria; e Maíra Bicca – Farmacologista na Johns Hopkins University/ Estados Unidos.