Por: Redação | 29/08/2021

Na última sexta-feira (27 de agosto) aconteceu a 1º reunião de Rede do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) do ano, convocada pela Promotoria de Justiça da Comarca de Itapema. A constituição e efetivação de um rede com fluxos e protocolos definidos é ímpar para atender integralmente as pessoas em situação de vulnerabilidade e risco social, com integração das comunicações entre as entidades de assistência social, os aparelhos da Assistência Social (CRAS, CREAS, Atendimento Social).

A constituição e efetivação de uma Rede vem após reivindicações das últimas três Conferências Municipais de Assistência Social, mas já é ponto de debate no Conselho Municipal de Assistência Social há alguns anos, com engajamento de trabalhadoras, usuárias e representantes de entidades que compõem o colegiado. Desde o começo desse ano, no entanto, o Instituto Araxá, por meio do Projeto “Sua Causa Nossa Causa”, buscou os pontos mais importantes a serem contemplados no trabalho em rede junto às entidades privadas de assistência social. Agora, com engajamento da sociedade civil e trabalhadores da política de assistência, e dessa vez com a sensibilização do Ministério Público, na representação da Dra. Carla Pinheiro, existe uma nova perspectiva para que a Rede SUAS saia do papel.

Por exemplo: uma pessoa, ao buscar um benefício eventual de alimentos, precisa de uma escuta qualificada e acompanhamento profissional para que se busque entender as razões da vulnerabilidade que a família ou indivíduo podem estar inseridos, assim como identificar quaisquer outras demandas de proteção social, tais como acesso à trabalho e renda, acesso à educação, à habitação, ao lazer, entre outros. E o mais importante: a família não apenas poderá ser encaminhada para atendimento em outras políticas públicas, mas principalmente acompanhada pelas equipes técnicas dos CRAS, CREAS e entidades de assistência social. Isso pode ser vislumbrado com o trabalho em rede, que busca a mobilização e melhor alocação de recursos humanos, técnicos e financeiros dentro do Sistema Único de Assistência Social, o SUAS.

A reunião por si só não garante a efetivação do trabalho em rede, mas sinaliza a decisão institucional de todos os envolvidos na busca da melhoria contínua deste sistema. Trabalhar em rede significa melhor atendimento, clareza nos encaminhamentos, compartilhamento da força de trabalho e agilidade para proteção social na cidade. Este dia histórico trouxe esperança e comprometimento com antigas demandas dos usuários, trabalhadores e entidades de assistência social. A partir de agora a rede SUAS com a coordenação do Ministério Público poderá avançar na construção de protocolos e fluxos de trabalho e logo expandir essa articulação com os demais setores governamentais (educação, saúde, desenvolvimento econômico, etc).

DIEGO CABALHEIRO

Assessoria de Gestão e Comunicação Institucional – Instituto Araxá

Pesquisador no Núcleo de Inovações Sociais na Esfera Pública (NISP) – ESAG/UDESC