Em SC, 620 mil seguem sem segunda dose da vacina contra Covid

Em Santa Catarina, 620 mil pessoas não tomaram a segunda dose da vacina contra a Covid-19. Isso significa que elas não completaram o esquema primário da imunização contra a doença. A Vigilância em Saúde do estado afirmou que antecipou a distribuição da vacina para que haja quantidade suficientes para crianças, adolescentes, adultos e idosos, tanto para as doses primárias quanto para reforço.

Moram no território catarinense 7.338.473 pessoas, conforme estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em relação à dose de reforço, pouco mais de 2,7 milhões não voltaram para receber mais essa vacina.

Quem tem 40 anos ou mais pode tomar a dose de reforço. Em levantamento preliminar, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica do estado (Dive) apontou que, das 77 mortes por Covid em maio em Santa Catarina, 71 foram de pacientes com mais de 50 anos que não tinham recebido o reforço.

“Quanto menos pessoas se vacinarem, maior a probabilidade do vírus circular na nossa via aérea superior e continuar a disseminação de novas variantes”, afirmou a médica infectologista Sabrina Sabino.

“A imunização contra a Covid continua sendo de muita importância para evitar os casos graves. Com a vacinação, a gente viu uma queda brutal nos casos graves, ainda que persista a transmissão de casos leves na comunidade”, disse Carolina Ponzi, que também é médica infectologista.

Mutação mais transmissível

Segundo a Dive, o coronavírus que está em circulação é uma mutação mais transmissível. De janeiro a junho deste ano, a partir de coletas encaminhadas ao laboratório central do estado, foram identificadas 29 amostras de novas linhagens e sublinhagens da variante ômicron.

Para atender à demanda do novo grupo de vacinação para a segunda dose de reforço, acima de 40 anos, o estado está repassando mais doses de vacina para os municípios.

“Tínhamos programado fazer a distribuição na semana que vem, mas antecipamos e estamos entregando as ultimas doses para as regionais de Saúde, para que todos os municípios tenham quantidade suficiente de vacina para crianças, adolescentes, adultos, idosos. Todas as doses, inclusive dose de reforço”, afirmou o superintendente de Vigilância em Saúde de Santa Catarina, Eduardo Macário.