Por: Redação | 02/12/2019

A expedição científica que celebra o 200º aniversário da descoberta da Antártida passará pelo Brasil neste ano. Em Santa Catarina, a previsão é de que o veleiro chamado Almirante Bellingshausen, com quase 24 metros de comprimento, chegue a Itajaí entre segunda (2) e sexta-feira (6). A embarcação irá atracar na Marina Itajaí e estará aberta para a visitação.

A embarcação partiu da Estônia, com 12 tripulantes, em julho deste ano. Quase uma centena de pessoas e pesquisadores irá se revezar nas diferentes pernas durante da expedição. O plano é chegar à Antártida em janeiro de 2020. A expedição irá refazer, em grande parte, o percurso feito pelo almirante Bellingshausen na época que descobriu a Antártida, em 1820. O almirante era natural da Ilha de Saaremaa, na Estônia, antiga URSS.

“A intenção é realizar uma expedição em formato semelhante ao da época, com uma embarcação parecida e parando nos mesmos destinos, mas desta vez muitos outros portos serão visitados. Um dos motivos que iremos atracar em Santa Catarina é porque a expedição de descobrimento também passou pelo Estado. Já a escolha por Itajaí se deve ao fato da infraestrutura da marina, na cidade portuária, ser muito melhor para a atracação”, explica o Cônsul Honorário da Estônia no Sul do país, Almir Maestri.

A expedição científica organizada pelo Museu Marítimo da Estônia terá cerca de sete meses de duração. Antes de Itajaí, o veleiro irá atracar em Recife e no Rio de Janeiro. Durante a passagem pelo município catarinense serão oferecidas palestras e visitações para escolas, mediante agendamento. Após a passagem por Itajaí, a embarcação seguirá rumo a Montevideo, no Uruguai.

Conhecimento a bordo

Além de lembrar um dos marcos da história da exploração mundial, outra intenção da expedição é chamar a atenção para tópicos importantes decorrentes das mudanças climáticas. Ao longo da viagem, a tripulação irá produzir um documentário de todos os lugares por onde passou. Haverá ainda seminários para estudantes organizados nos pontos de parada da viagem. Ao todo, quase vinte cientistas navegam para compartilhar seus conhecimentos sobre diferentes questões marítimas, climáticas e ecológicas.