Por: redação | 10/09/2019

O feriado de Sete de Setembro foi marcado por diversas comemorações no município, dentre elas o encerramento da 22ª edição do Festival de Música de Itajaí. A edição teve o maior recorde de público. Mais 10 mil pessoas prestigiaram os nove dias de evento. O encerramento contou com a partição do público do Festival Rock’n Beer e trouxe ao palco a banda responsável pelo nascimento do movimento Mangue Beat, a Mundo Livre S/A.

“Nesta edição do Festival nós alcançamos a maturidade. Conseguimos fazer um festival de muita qualidade técnica e reunir um público muito grande em todos os eventos. O festival faz parte da alma da cidade”, comemora Normélio Weber, superintendente administrativo das Fundações.

Durante a noite de sábado, a festa de encerramento foi no Centreventos, junto ao evento Rock’n’beer – famoso encontro anual de músicos e cervejeiros locais, que se uniu ao encerramento do 22º Festival de Música de Itajaí.

Chico Preto e banda iniciaram a festa com composições autorias do disco Caçador de Poesias, lançado no ano passado. Acompanhado de grandes músicos locais, Chico animou o público com seu som litorâneo, que traz uma grande diversidade musical de ritmos, como afoxé e o samba, com influências do hip hop e rock and roll.

O grupo cultural Tarrafa Elétrica subiu ao palco logo após Chico Preto.Adultos e crianças vibraram com as novas canções do projeto Cardume e com os antigos clássicos da banda. O show encerrou com a participação de integrantes do Grupo de Percussão de Itajaí (GPI) e de Chico Preto e banda.

A banda Mundo Livre S/A colocou todo o Centreventos para dançar ao som do Mangue Beat. Os músicos já haviam se apresentado no estado diversas vezes, mas esta foi sua estreia nos palcos de Itajaí. O público se aproximou do palco e de forma pacífica e descontraída, cantou e dançou os grandes sucessos da emblemática banda.

“Acho de extrema importância que o poder público fomente esse tipo de festival, proporcionando grandes oportunidades para os novos talentos e qualificando cada vez mais os músicos. Sentimos uma identificação muito grande do Mangue Beat com a sonoridade catarinense, pois ambas têm a mesma linguagem litorânea. O Festival está de parabéns, estamos muito felizes em fazer o encerramento de uma festa tão linda”, comentou o vocalista da banda Fred Zeroquatro. Ao final do show, Fred mencionou que este foi o melhor show do grupo em solo catarinense desde o início de sua carreira.

Palestra

No sábado pela manhã, integrantes da banda Mundo Livre promoveram uma palestra na Casa da Cultura. DJ Dolores, o jornalista Renato L e o vocalista da Mundo Livre S/A, Fred Zeroquatro, ministraram a palestra Viagem ao Centro do Mangue. Eles relataram mais sobre toda a trajetória e evolução do Mangue Beat, a qual se mistura diretamente com a história da banda e de outros representantes do movimento, como Chico Science e Nação Zumbi.