Por: Redação | 14/09/2021

Alheio à redução na oferta de vacinas da Astrazeneca no Brasil, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que o intervalo entre doses do imunizante contra a Covid-19 será diminuído. As informações são da Agência Estado.

O anúncio, feito nesta segunda-feira (13), explica que agora o tempo entre a primeira e a segunda dose passará de 12 semanas (3 meses) para 8 semanas (dois meses).  A mudança passa a valer nesta quarta-feira (15).

Essa é a segunda mudança recente que reduz o intervalo entre doses. Antes da Astrazeneca, o Ministério havia anunciado, ainda em agosto, a redução do intervalo da Pfizer a partir de setembro.

Outra vacina aplicada em larga escala no Brasil é a Coronavac, que se mantém com intervalo de 28 dias, e a da Janssen, que é de dose única.

Apesar das mudanças nos intervalos, os critérios adotados ainda diferem das recomendações das fabricantes. A Pfizer recomenda intervalo de 21 dias entre as doses e a AstraZeneca, de 12 semanas, como acontece hoje.