Por: Redação | 29/04/2021

Segundo o site POLITIZE, os MOVIMENTOS SOCIAIS (MS) “são formados por grupos de indivíduos que defendem, demandam e/ou lutam por uma causa social e política”. Através dos movimentos sociais a população pode se organizar e defender seus desejos e direitos. Esses fenômenos sociais introduzem e induzem mudanças na estrutura da sociedade. As ações de um movimento social podem ser expressas de diferentes formas, dependendo do ideal atrelado à causa, sendo as mais conhecidas manifestações atuais as passeatas, greves, marchas, espalhamento de cartazes, entre outros.

É importante compreender que os movimentos sociais podem ser divididos em dois tipos: 1. Conjuntural – movimento que surge devido uma demanda específica e tem curto prazo (por exemplo as manifestações sobre o preço da passagem). 2. Estrutural – movimento que quer conquistar coisas a longo prazo (por exemplo os movimentos que lutam pelo fim do racismo).

Muitas pessoas confundem a ação dos movimentos sociais por associar sua atuação como oposição às ações governamentais, caracterizando-o como “de esquerda”, mas ainda falando do site POLITIZE os Movimentos Sociais “podem ser favoráveis ao governo vigente (independente de partido político), basta apoiarem as mesmas lutas com as quais o governo se identifica”. No Brasil estes movimentos se destacaram a partir dos anos 70 por se oporem ao regime militar vigente à época, principalmente o movimento estudantil, já na década de 80 e 90 foram responsáveis pelas “Diretas Já” e o impeachment do Governo Collor. Segundo Carlos Montaño e Maria Lúcia Durigueto (2010), é importante conceituar e trazer os movimentos sociais para a academia e estudos. O autor expõe que “existem duas distinções para conceituar os movimentos sociais, duas distinções precisam ser esclarecidas para compreender de que estamos falando quando tratamos de ‘Movimentos Sociais’ ”, então vamos lá:

Movimento e mobilização sociais. Deve claramente se diferenciar o conceito de movimento social do de mobilização social. Longe de se tratar de uma questão semântica, um “movimento social” caracteriza uma organização, com relativo grau de formalidade e de estabilidade, que não se reduz a uma dada atividade, que se esgota em si mesma quando concluída. Mobilização pode ser uma ferramenta do movimento; também uma mobilização não necessariamente significa uma organização nem constitui um movimento social. (Montaño, 2010, p. 264).

Movimento Social e ONG. Outra confusão comum é a equivocada identificação entre Movimento Social e ONG (organizações não-governamentais). Essas são tratadas ora como organizações de mesma natureza, ora como entidades que se sucedem no tempo. Porém, ambas constituem organizações de natureza bem diversa. Por um lado, o Movimento Social, dentre outras determinações, é conformado pelos próprios sujeitos portadores de certa identidade/ necessidade/ reivindicação/ pertencimento de classe, que se mobilizam por respostas ou para enfrentar tais questões – o movimento social constitui-se pelos próprios envolvidos diretamente na questão. Por seu turno, a ONG é constituída por agentes, remunerados e/ou voluntários, que se mobilizam na resposta a necessidades, interesses ou reinvindicações em geral alheios, não próprios. (Montaño, 2010, p. 264).

Os movimentos sociais se constituem a partir da organização popular e defesa de pautas pelas quais as pessoas se identificam, trazendo para as lutas sociais um viés emancipatório, junto a uma dimensão crítica na defesa intransigente dos direitos humanos, da democracia, e da consolidação da cidadania.

Alguns exemplos de movimentos sociais: Movimentos indígenas e camponeses; Movimento feminista; Movimento estudantil; Movimento Negro; Movimentos pela liberdade de orientação sexual; Movimentos de resistências; Movimento das mulheres camponesas; Movimento dos atingidos por barragens; Fórum social mundial, entre outros.

E você? Faz parte de algum movimento? Sabe algum movimento da região que mora? Comente e nos conte um pouco mais sobre.

ALINE VICENTINI – Instituto Araxá

Assistente Social – Especialista em Gestão Pública