Por: Ricardo Gebeluca | 15/05/2018

O estudante de 23 anos preso em Goiânia suspeito de estuprar uma jovem enquanto mantinha a mãe dela trancada em um quarto deverá continuar preso, conforme decisão do juiz Oscar de Oliveira Sá Neto, em audiência de custódia realizada nesta segunda-feira (14). A mãe dele veio de Tocantins, onde mora, para ver o filho, disse que está desolada, mas que ele precisa pagar pelo que cometeu.

“Estava esperando ligação dele para desejar feliz Dia das Mães, e a notícia que recebi foi essa. Foi um abalo muito grande, achei que ia morrer na hora que soube, mãe nenhuma merece. Eu não apoio, se fez, vai ter de pagar”, lamentou.

Mãe de rapaz preso suspeito de trancar mulher em quarto e estuprar filha dela, no Setor Mariliza, em Goiânia (Foto: Paula Resende/G1)

Mãe de rapaz preso suspeito de trancar mulher em quarto e estuprar filha dela, no Setor Mariliza, em Goiânia (Foto: Paula Resende/G1)

O crime ocorreu no fim da madrugada de domingo (14), na casa em que a jovem e a mãe dela moravam, no Setor Marilizia. Segundo a Polícia Civil, o criminoso, de 23 anos, ainda levou um tablet e um celular das vítimas. Ele alegou que entrou na casa errada.

A mãe do suspeito disse que não entende o motivo do filho ter cometido o crime. “Quero perguntar o porquê ele fez isso, sempre trabalhamos, sofremos para criar ele e os irmãos, mas demos educação, ensinamos o caminho certo, nunca imaginei passar por isso.

Motorista, um dos seis irmãos do estudante contou que o suspeito se mudou para Goiânia no início do ano, para trabalhar. Segundo ele, o jovem começou a estudar à noite e conheceu pessoas que o levaram para o “mau caminho”.

“Nunca tinha dado trabalho, era trabalhador, mas arrumou amigos, que, na verdade, não são amigos, e o levaram para o mau caminho. O que ele fez não foi em sã consciência, tinha bebido, usado drogas. Pedimos um tratamento para ele parar de usar drogas”, pediu o irmão.

Crimes

Segundo a Polícia Civil, vizinhos ouviram o barulho da movimentação na casa e chamaram a Polícia Militar, por volta das 6h, que prendeu o homem quando ele saía da residência com o rosto tampado por uma camiseta, o facão e os objetos roubados. Conforme apurou a TV Anhanguera, o homem também estava com manchas de sangue nas roupas.

O suspeito foi levado para a Delegacia Estadual de Atendimento à Mulher (Deam).

Delegacia Estadual de Atendimento à Mulher (Deam), em Goiânia (Foto: Vanessa Martins/G1)

Delegacia Estadual de Atendimento à Mulher (Deam), em Goiânia (Foto: Vanessa Martins/G1)

A delegada Bruna Coelho, que registrou o caso, informou que o homem entrou na casa das vítimas com um facão no intuito de realizar um assalto, mas, como estava muito alterado, cometeu os outros crimes.

“Ele disse que ia roubar, mas acredito que entrou na casa errada. O autor contou que havia usado cocaína e bebido muito e que estuprou a vítima por estar muito alterado”, relatou.

Com informações G1