Por: Redação | 08/10/2021

Nesta quinta-feira (7), o Supremo Tribunal Federal (STF) recebeu um pedido de impeachment de Paulo Guedes, ministro da Economia. O pedido foi articulado por mais de 200 entidades, mobilizadas por meio da Coalização Direitos Valem Mais.

O grupo alega que o ministro cometeu crimes de responsabilidade durante a gestão da pandemia da Covid-19. “Não prever no orçamento de 2021 despesas para o enfrentamento da Covid-19, suspender o auxílio emergencial no acirramento da pandemia e fomentar a pobreza no país” seriam alguns deles.

Embora tenha ocorrido quase na mesma data, a iniciativa não está relacionada ao caso das offshores de Guedes nas Ilhas Virgens, conforme informações do jornalista João Paulo Saconi, do Jornal O Globo.

De acordo com documento elaborado pelo grupo, Guedes teria falhado ao deixar de incluir na proposta de orçamento para este ano, enviada ao Congresso em 2020, recursos para o combate ao coronavírus. Os últimos dez meses, apesar da falta de uma previsão de verba, concentram 65% das mortes e 62% das contaminações registradas desde o início da crise sanitária.

– Paulo Guedes agiu deliberadamente para que não houvesse recurso no enfrentamento à pandemia de Covid-19 em 2021. Seja para perseguir uma pretensa tese de imunidade de rebanho, seja por acreditar que a pandemia acabaria repentinamente no país – diz Denise Carreira, uma das porta-vozes da Coalizão Direitos Valem Mais, Plataforma Dhesca e Ação Educativa.