Por: redação | 25/10/2019

No Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018, mais de 110 mil candidatos tiraram nota zero na redação. Isso significa que eles não puderam se inscrever no Programa Universidade para Todos (Prouni), no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Ou seja: perderam as três principais utilidades do Enem para ingressar no ensino superior.

Mas, afinal, o que pode fazer com que um texto receba a nota mínima?

1- Não respeitar a proposta de redação. É a famosa ‘fuga ao tema’, responsável por 28% das notas zeros em 2018. Naquele ano, por exemplo, o tema foi “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”. O candidato não podia desenvolver seus argumentos sobre outro assunto.

2- Não seguir a estrutura “dissertativo-argumentativa”. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) espera que o candidato apresente uma tese e desenvolva justificativas para comprová-la – exemplos, dados estatísticos, pesquisas, citações, referências históricas.

Isso quer dizer que não é permitido escrever um poema, uma narração de história ou um depoimento pessoal, mesmo que obedecendo ao tema proposto.

3- Escrever um texto curto, com até sete linhas. É importante saber que, se a redação tiver dez linhas, mas quatro forem uma transcrição/cópia de um dos textos motivadores, considera-se que o candidato tenha escrito apenas seis linhas. Ou seja: tirará zero.

4- Copiar integralmente na redação os textos do enunciado da prova de redação ou do caderno de questões.

5- Fazer desenhos ou escrever “impropérios” (como xingamentos ou insultos). Isso vale para qualquer parte da folha de redação.

6- Escrever números ou sinais gráficos fora do texto e sem função clara.

7- Redigir parte do texto sem conexão com o tema proposto. Não é permitido, evidentemente, colocar um parágrafo com uma receita de torta. Nem, para tentar enganar o corretor, escrever um trecho sobre outro assunto, só para atingir o mínimo de linhas exigido.

9- Escrever o próprio nome, assinar, colocar um codinome ou rubricar na folha de redação. A assinatura deve ficar no local designado para ela.

10- Fazer a redação em um idioma estrangeiro.

11- Deixar a folha de redação em branco. Mesmo que haja texto escrito na folha de rascunho, ele não conta para a nota da prova.

E o respeito aos direitos humanos?

Na edição de 2018, o Inep divulgou a “Cartilha da Redação”, um manual que detalha os critérios de correção da prova. Pela primeira vez, o material retirou o trecho que afirmava que desrespeitar os direitos humanos acarretaria nota zero.

Isso não significa, no entanto, que o candidato deva defender práticas como o linchamento ou a perda de direitos civis. Ele não tirará zero por causa disso, mas também não receberá a nota máxima. Em uma das competências avaliadas no Enem, o estudante deve “Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado que respeite os direitos humanos”.

É necessário “não romper com os valores de cidadania, liberdade, solidariedade e diversidade cultural”, segundo o manual.