Por: Ricardo Gebeluca | 09/02/2021

Escolas e creches em Santa Catarina ficaram fechadas quase o ano inteiro no ano passado por causa da pandemia da Covid-19. Mesmo assim, uma creche e uma escola de Blumenau, no Vale do Itajaí, que foi atingida pelo ‘ciclone bomba’ na metade do ano passado, não tiveram os problemas estruturais consertados nesse período.

Na cidade, há 36 mil alunos matriculados na rede municipal e 24 mil voltaram às atividades presenciais nesta segunda-feira (8). Com o retorno, 200 alunos da escola precisaram ser deslocados para outros locais por conta dos problemas.

Escola

Na escola Machado de Assis também há problemas. O local foi atingido pelo ciclone-bomba em junho do ano passado. Após mais de sete meses, o espaço ainda não foi reformado.

Para evitar que chova dentro das salas, lonas foram colocadas para cobrir o telhado. Os mais de 200 alunos do 8º e 9º anos tiveram que ser remanejados para outro lugar.

A prefeitura disse que não reformou o espaço porque o processo de licitação ainda não foi concluído. “Agora entramos na fase final do processo licitatório. A gente abre prazo de contestação, caso alguma empresa entenda necessário. a partir do processo homologado, a gente inicia a obra”, disse Adriano Cunha, diretor administrativo da Secretaria de Educação municipal.

Creche

Na creche Oswaldo Deschamps, as paredes tem muitas rachaduras. Nas salas, que são escuras, as lâmpadas foram colocadas no improviso. Os cabos de eletricidade estão à mostra e remendados com fita isolante.

“A sala que ela está eles adaptaram, está precisando de melhoria. Faz tempo que estamos esperando por isso”, disse Ana Celsa, que é mãe de uma das alunas da unidade infantil.

A cozinha é toda aberta. A parede é de madeira e, por isso, não pode ter o revestimento adequado. Em alguns pontos, o forro está caindo. “‘A escola está muito feia. A estrutura está horrível”, diz a mãe de outra criança.

Mais de 100 crianças frequentam a creche e 20 profissionais trabalham no local. Os professores escreveram uma carta relatando os problemas da unidade. O documento foi enviado à Secretaria de Educação do município. O documento menciona ainda problemas em todas as salas e algumas têm goteiras.

A prefeitura diz que faz manutenções pontuais na creche e que uma nova unidade está sendo construída ao lado da antiga. Ela deve ficar pronta em 15 dias, segundo a prefeitura.