Por: Redação | 08/10/2020

Na última sexta-feira (02), o Clube de Caça e Tiro de Camboriú recebeu o especialista em legislação de controle de armas Marcos Pollon, para falar sobre “O que mudou, o que precisa mudar e o que faremos para tornar o Brasil um país mais livre?”. O evento, que seguiu todas as normas e cuidados exigidos pelo atual decreto para contenção do novo coronavírus, contou com a presença de diversas autoridades locais, como o Delegado da 29° Delegacia de Polícia, Dr. Giancarlo Rossini e a Diretora presidente do Clube Adriana Fronza.

Uma das presenças destaques no evento foi do Deputado Estadual Carlos Humberto Metzner Silva, que emocionou os presentes com o relato da dificuldade de tirar o porte de armas Federal, mesmo após ser vítima de dois assaltos. Nestas ocasiões, o deputado relatou ter sido baleado seis vezes: três tiros na cabeça, um no peito e dois tiros no braço. Mesmo diante dessa situação, Carlos Humberto não pode se defender e não conseguiu obter o porte de armas, ainda que o criminoso morasse no mesmo município em que o deputado. Será que não preenche os requisitos de efetiva necessidade que exige o atual Estatuto do Desarmamento?

Após o discurso emocionante de Humberto, Marcos Pollon explicou o que ainda precisa ser mudado no Estatuto do Desarmamento, atual lei No 10.826, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003. Segundo o especialista, avançamos positivamente, com mudanças que indicam pequenas vitórias. “Não é sobre armas, estou em busca dos nossos direitos. Nossa luta está apenas começando. todos nós temos o direito à liberdade de escolher portar uma arma, para se defender.” Concluiu Pollon

Marcos Pollon é advogado, especialista em em legislação de controle de armas, ativista pró armas, um dos idealizadores do Movimento Pró Armas, cujo objetivo é produzir informações sobre o acesso civil às armas de fogo, seja como cidadão comum ou como atirador esportivo, caçador ou colecionador. Aborda aspectos da legislação vigente bem como aspectos relacionados ao tiro esportivo, armas de coleção e reviews de armas de fogo. Além da organização da Militância pró armas para combater o nefasto desarmamento e a cultura desarmamentista.