Por: Redação | 21/07/2021

Blumenau doou mais da metade dos 36 mil comprimidos de cloroquina recebidos do Exército Brasileiro há um ano para ser usado no tratamento da Covid-19.

O medicamento foi solicitado pela prefeitura ao Ministério da Saúde em julho de 2020 para ser colocado à disposição da rede de atendimento da cidade. “A distribuição vai ser feita com base em solicitação médica, em autonomia médica. Nós não vamos colocar e nem obrigar nenhum profissional da saúde de Blumenau ou da prefeitura a receitar qualquer medicamento”, afirmou o prefeito Mário Hildebrandt, na época.

Entretanto, um ano depois de receber o medicamento, Blumenau vê os comprimidos encalharem nas prateleiras do almoxarifado da Saúde. Apenas 2,7 mil doses foram distribuídas aos cidadãos que apresentaram receita médica.

Para tentar “consumir” as doses antes do prazo de validade – que expira em maio de 2022 – a prefeitura doou 22,1 comprimidos para cidades da região. De acordo com informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Promoção da Saúde, o medicamento foi destinado para as cidades de Brusque, Gaspar, Ibirama e Pomerode, conforme orientação da 15ª Regional de Blumenau.

 

Clínicas desinteressadas

Esta é a segunda tentativa de Blumenau de dar um fim ao estoque do medicamento que ficou parado. Em maio deste ano a prefeitura abriu um edital para cadastrar clínicas particulares que quisessem receber os comprimidos para dispensar aos pacientes. No entanto, nenhuma instituição se inscreveu.

Apesar da doação a outras cidades, Blumenau ainda mantém um estoque de 11,2 mil comprimidos de cloroquina, que seguem disponíveis na rede pública de saúde.

Informações ND+