Por: Ricardo Gebeluca | 1 mês atrás

Quatorze pacientes que estão com a síndrome nefroneural continuam internados em estado grave, com risco de morte, informou a Secretaria de Estado de Saúde, durante a coletiva na manhã desta sexta-feira (17).

Até agora, já são 18 casos notificados da síndrome nefroneural. Quatro foram confirmados. Quatro pessoas morreram. Os casos surgiram possivelmente após a ingestão de dietilenoglicol, que foram encontradas nas cervejas da Backer.

A Secretaria de Estado de Saúde explicou que apenas a Polícia Civil tem a tecnologia necessária para fazer exames e confirmar com precisão se os pacientes que estão internados foram contaminados pelo dietilenoglicol. Esta seria o motivo apontado pelo órgão para a demora da confirmação dos demais casos.

“É raro a intoxicação por dietilenoglicol. A gente não sabe em relação a sequelas, evolução. Existe a possibilidade de que estes pacientes se recuperem, mas pode ser que também tenham sequelas”, disse a infectologista Virgínia Antunes de Andrade.

Dos 18 casos investigados pela Secretaria de Estado de Saúde, a maior parte homem. O infectologista do Hospital João XXIII Adebal Filho disse que os efeitos vão variar em cada um. “Se a pessoa tiver ingerido a cerveja de barriga cheia, menor será a absorção do álcool e também do dietilenoglicol”, explicou.

Ainda de acordo com o infectologista, quanto maior a quantidade ingerida, maior risco de adoecimento;. Pacientes que já tinham alguma doença, especialmente renal ou hepático, têm mais chances de ter quadro grave da síndrome nefroneural. “A ingestão de outros tipos de álcool com a cerveja é o antídoto principal. Isso explica porque alguns adoeceram muito e outros não”, completou.

Sintomas

Durante a coletiva, a infectologista reforçou que os sintomas começam a apresentar nas primeiras 72 horas após a ingestão. Os primeiros sinais de intoxicação por dietilenoglicol são dores abdominais, náuseas e vômitos.

Entre os sintomas da síndrome nefroneural estão alterações neurológicas e insuficiência renal. O tratamento é feito no hospital, com monitoração, e tem o etanol como antídoto.

Entretanto, segundo a infectologista Virgínia, o antídoto pode reverter apenas parcialmente. “Porque não se sabe se é só do dietilenoglicol ou os metabólicos que ele produz que estão causando estes danos. O antídoto combate os efeitos do dietilenoglicol. Mas os efeitos dos metabólicos podem causar danos permanentes”.

Resumo

Uma força-tarefa da polícia investiga 18 notificações de pessoas contaminadas após consumir cerveja; quatro morreram;

Os sintomas da síndrome nefroneural incluem náusea, vômito e dor abdominal, que evoluem para insuficiência renal e alterações neurológicas;

O Ministério da Agricultura identificou 21 lotes de cerveja da Backer contaminados com dietileglicol, um anticongelante tóxico;

A Backer nega usar o dietilenoglicol na fabricação da cerveja;

A cervejaria foi interditada, precisou fazer recall e interromper as vendas de todos os lotes produzidos desde outubro;

Diretora da cervejaria disse que não sabe o que está acontecendo e pediu que clientes não consumam a cerveja.